FANDOM


Balão sto Este artigo ou seção contém informações sobre um título ainda em fase de planejamento ou em desenvolvimento.

Pode ser que as inserções são de natureza especulativa ou não final e que as alterações de conteúdo como e quando a evolução do título e à informação disponível.

The Sims: O Filme seria um suposto filme live-action baseado na franquia de jogos The Sims. Porém, desde seu anúncio, em 2007, não houve nenhuma informação que comprovasse seu desenvolvimento, o que leva a crer que o projeto foi abandonado.

Histórico

Em 2007, a 20th Century Fox teria comprado os direitos para produzir um filme do jogo, gravado por atores reais. A sinopse divulgada pelos produtores é a seguinte:

Belavista é uma das melhores vizinhanças para se viver, todo mundo é feliz, a grama é sempre verde, as crianças são todas comportadas. Mas o novo morador Andie começa a descobrir a "real" Belavista, onde não só há uma vizinhança cheia de traições, mentiras, enganações, pessoas estranhas como a família Caixão, Don Lotário, a família Novato, mas eles também estão sendo controlados por uma força maior. Andie se assusta ao descobrir que eles estão presos em um video game sendo jogado por milhões de pessoas no mundo inteiro.

Um dos produtores do filme, John Davis, revelou em uma entrevista que, no filme, dois adolescente (um de 14 e outro de 16 anos) compram, em uma loja de videogames muito estranha, uma expansão chamada Sims Infinity Pack. Eles começam a jogar e percebem que o que eles fazem no jogo reflete no mundo real, conseguindo, assim, controlar o mundo deles. Em sua entrevista, ele diz:

Em The Sims podemos controlar os nossos próprios mundos imaginários, certo? No nosso filme, três meninos descobrem, numa estranha loja de jogos, o Sims Infinity Pack: uma expansão desconhecida, porém ultra-avançada, de The Sims. Com o Sims Infinity Pack eles podem digitalizar coisas reais da sua realidade e colocar no jogo. Mas conforme eles jogam, descobrem que o que eles fazem ali têm impacto no mundo real. Ou seja, eles podem controlar o mundo! É muito ao estilo de Mulher Nota 1000.

— John Davis, produtor